terça-feira, 21 de julho de 2015

O Estudante de Relações Internacionais

Conheci-te em Judaberg numa noite íngreme. 
A neve tingia-nos a voz. O apetite melancólico
da ilha aproximou-te imediatamente do meu corpo 
e, apesar dos sorrisos cordiais, partilhávamos
o mesmo fascínio pela guerra.
Contos europeus ardiam pela vodka com sangue,
ascendiam pela madrugada cada vez mais nossa.
O 4 de Julho é o dia em que Sigismundo II
anexa a Lituânia à Polónia. No século XX
deportaram-te familiares para a Sibéria.
O mar do norte raspava-nos as palavras,
enquanto a neve nos esmagava contra
o esquecimento da ilha. Sabia que podia
partilhar contigo a minha dívida soberana,
a minha identidade republicana, a ausência
de sono, o medo e o existencialismo.
Combinámos encontrar-nos algures entre
o Império Otomano e o Bizantino,
por volta de Agosto. Eu apanhei o avião
tu vieste de autocarro. Quando lá chegámos
o sul da Europa já não te interessava porque
estavas deslumbrado com os conflitos no Líbano.